O Tauba (arrependimento) - Parte 1

11-04-2009 00:29

 

"Tauba" significa arrepender-se pelos pecados prometendo-se a si próprio de não voltar a cometer o acto e voltar-se inteiramente arrependido para ALLAH. O Tauba é o começo na vida do indivíduo que deseja caminhar no Islão. É a raíz daqueles que desejam triunfar; é a chave da orientação para o verdadeiro caminho.

 

ALLAH criou várias criaturas e com diferentes características. Por exemplo, os Anjos são criaturas que vivem em total obediência a ALLAH, não desobedecem nem sequer uma ordem. Por outro lado, temos o Satanás que vive na desobediência a ALLAH. O instinto humano junta-se a estes dois elementos, ou seja, todo o Homem segue uma das qualidades: a de Anjos e de Satanás. Por outras palavras, o Homem ao obedecer às ordens de ALLAH estará mostrando qualidades de Anjos e desobedecendo-Lhe, assemelha-se ao Satanás.

 

ALLAH ensinou à humanidade através dos Profetas e dos Livros Sagrados o bem e o mal, deixando ao critério do Homem a opção de escolha e a sua prática. O Homem goza dessa opção, porém se pecar sofrerá as suas consequências e se obedecer a ALLAH será recompensado. ALLAH abriu as Suas portas de perdão para todo aquele servo que se arrepende e volte para ALLAH.

  

ALLAH diz:

”Ó Crentes, voltai-vos todos, arrependidos, à ALLAH, na esperança de terdes sucesso!” (Cap. 24 Vers 31)

E diz:

"Ó Crentes! Voltai-vos arrependidos à ALLAH, com arrependimento sincero, é possível que o vosso Senhor perdoe os vossos pecados e vos introduza em Jardins.” (Cap. 66 Vers 8)

E ainda diz:

”E na verdade Eu sou constante perdoador de quem se arrepende e crê, pratica o bem e que depois segue o caminho recto.” (Cap. 20, Vers. 82)

E num outro versículo diz:

“Informa (ó Muhammad) aos Meus servos que na verdade, Eu sou o Indulgente, o Misericordioso.” (Cap. 15, Vers 49)

“Porque não voltam para ALLAH e imploram o Seu perdão, uma vez que Ele é Indulgente e Misericordioso?” (Cap 5 Vers 74)

 

A importância do arrependimento

 

Anass (que Deus esteja satisfeito com ele) narra um Hadice Qudssi: ”Eu escutei o Mensageiro de ALLAH (que a Paz e Bençãos de Deus estejam com ele) a dizer «ALLAH, o Todo Poderoso afirmou: "Ó filho de Adam! Desde que tu Me chames e peças, Eu perdoar-te-ei por aquilo que fizeste e não Me importarei. Ó filho de Adam! Mesmo se os teus pecados chegarem às nuvens e se tu pedires-Me perdão, Eu certamente perdoar-te-ei. Ó filho de Adam! Mesmo se vieres ter Comigo com pecados do tamanho da terra e se não associares ninguém Comigo, Eu trar-te-ei perdão tão grande (como o pecado)."»" (Relato de At-Tirmizi)

 

O Profeta (que a Paz e Bençãos de Deus estejam com ele) disse: “Aquele que se arrepende é querido por ALLAH. Aquele que se arrepende de pecados é como se não tivesse (cometido) pecados.” (Relatos de Ibn Majah e Al-Baihaqui)

 

Anass (que Deus esteja satisfeito com ele) narra que o Profeta (que a Paz e Bençãos de Deus estejam com ele) disse: «Todo o filho de Adam (i.é, ser humano) é pecador, mas os melhores de entre os pecadores são os que se arrependem sinceramente e voltam para ALLAH.» (Relatos de At-Tirmizi, Ibn Majah e Ad-Darmi)

 

Consta nas narrações de Hadices que, ALLAH ao amaldiçoar Satanás, este pediu algum tempo e Ele o concedeu. Satanás porém disse: “Por honra do teu juramento, eu não sairei do coração do Homem, enquanto o Homem estiver vivo." ALLAH disse: “Por Minha Honra e Glória. Eu aceitarei o perdão do Homem, enquanto existir vida no seu corpo.”

 

Abdullah Ibn Umar (que Deus esteja satisfeito com ele) narra que o Profeta de ALLAH (que a Paz e Bençãos de Deus estejam com ele) disse: "ALLAH aceita o arrependimento da pessoa até ao momento em que “o som da agonia” começa a sair do seu pescoço” como sinal de aproximação da morte." (Relatos de At-Tirmizi e Ibn Májah)

 

Portanto a Porta de Tauba está aberta para todo aquele Homem que desejar adquiri-la; enquanto houver vida no corpo da pessoa nunca é tarde, assim como algumas pessoas acham que depois de terem cometido vários pecados durante a vida, não poderão obter o perdão de ALLAH. Não! Estão errados, ALLAH é Perdoador, gosta de perdoar ao Seu servo, desde que este se dirija à Ele, com sinceridade e determinação de corrigir o rumo da sua vida. Porém, o Homem não deve retardar o pedido de perdão à ALLAH, porque ninguém neste mundo tem a garantia de vida, mas todos temos a garantia da morte. E não espere arrepender-se "às dez horas", porque poderá morrer "às nove e meia".

 

O arrependimento como libertação do pecado

 

O Homem em vida deve educar a sua família e em especial os seus filhos à conduta Islâmica, porque isso é benéfico e pode ser bastante útil após a morte. Consta num Hadice que o Profeta (que a Paz e Bençãos de Deus estejam com ele) disse: «Quando o filho de Adam morre; todas as suas acções cessam excepto três:

- O Sadaca Járiya (i.é, a caridade para fins públicos, pessoais, etc.);

- O Conhecimento (Ilm) que ele deixou;

- E o filho piedoso que faz Duá para os pais.»

 

A respeito do Tauba, o Qur’án salientou vigorosamente ao apelar aos crentes:

“E manifestai o vosso tauba a ALLAH, ó vós crentes”.

 

E outra versão, cujo o teor é o seguinte: “E Adam recebeu palavras do seu Senhor (através das quais implorava o perdão do erro que cometeu), tendo ALLAH relevado. Tais palavras consistem em: “Senhor nosso! Na verdade, nós fomos injustos contra as nossas almas, e se Tu não nos perdoares e, consequentemente não nos abençoares, certamente, seremos como os que são prejudicados”.

 

Consta do livro Riadus-Sálihin, da autoria de Imám Nawawy, acerca do tauba, o seguinte: “Afirmam os Ulamá que o tauba constitui obrigação imposta a cada um para retirar o seu pecado definitivamente. Se se tratar de um pecado que ninguém esteja envolvido para além de ALLAH, terá o pecador de obedecer três condições indispensáveis:

1ª A renúncia absoluta ao pecado cometido;

2ª O arrependimento por ter cometido aquele pecado;

3ª Estar decidido de nunca mais voltar a cometer o mesmo pecado.

Se faltar uma destas três condições, o tauba será considerado inválido.

E se um ser humano estiver envolvido no pecado, como por exemplo, ofender alguém injustamente ou burlar-lhe, etc., as condições para o tauba passam a ser conforme a descriminação seguinte:

1ª Cumprir as três condições atrás mencionadas;

2ª Retirar a ofensa, ou melhor, pedir desculpas à pessoa ofendida. Se emprestou dinheiro, pagar a dívida que contraiu, ou estabelecer condições de pagamento”.

 

O capítulo de tauba inspira um princípio indispensável na vida de cada um. A preocupação de um crente deve consistir na purificação da sua alma e fazer com que ela esteja livre de culpas, como garantia de felicidade eterna na vida extra-terrena (Ákhirah).

 

O Profeta (que a Paz e Bençãos de Deus estejam com ele) diz: “Aquele que se arrepende do pecado, fica (completamente lavado) como se não tivesse cometido pecado. E ALLAH exorta: ‘Ó vós que credes! Implorai o tauba a ALLAH com sinceridade”.

 

Ainda a propósito do tauba, o Profeta de Allah (que a Paz e Bençãos de Deus estejam com ele) conta um episódio referente a um homem do Bani Issraíl, que cometeu crime de homicídio, tendo morto 99 pessoas. O criminoso indagou o paradeiro de um jurista conceituado da região, tendo-lhe sido indicado um adorador de entre os Bani Issrail, a quem colocou a sua questão. O adorador respondeu que o crime não tinha perdão. Por conseguinte, o criminoso matou-o, tendo assim completado cem crimes de homicídio. Em seguida, foi procurar o mais sábio homem da região, tendo lhe sido indicado um Álim, a quem colocou a sua questão, desta vez com agravante de ter morto cem pessoas.

- Há tauba? – Inqueriu ao Álim.

- Sim. – Respondeu categoricamente e disse ainda: há alguém que pode colocar barreira entre ele e o tauba? Siga já para uma terra onde existem pessoas que adoram ALLAH; vá e junta-te a elas e não regressas à tua terra em virtude de ela ser uma terra de malfeitores.

 

Naquele instante, ele iniciou a sua jornada. Quando percorreu meio caminho, chegou-lhe a morte. Naquele lugar compareceram anjos da clemência e anjos do castigo, rivalizando-se entre si. Os anjos de clemência queriam tomar conta do defunto argumentando de que ele tinha feito tauba; os anjos do castigo queriam tomar conta do defunto argumentando de que ele não chegou a praticar qualquer boa acção.

Nesse instante surgiu um anjo em forma humana, o qual interveio como apaziguador da questão e disse: “Meçam as duas distâncias, uma da proveniência e outra do destino do defunto”.

Feita a medição, acharam que a distância do destino era curta com diferença de um palmo e assim os anjos da clemência tomaram conta do defunto.

 

Quem fizer tauba sincero dos seus pecados, morrerá feliz e no Dia do Julgamento Final, estará livre dos terríveis tormentos desse medonho Dia.

—————

Voltar